Comissão Nacional dos Diáconos

Diocese de Petrópolis ordena 8 diáconos permanentes

Aconteceu no dia 29 de setembro, na Catedral de São Pedro de Alcântara, as 9h, a ordenação dos candidatos ao diaconado permanente da 3ª turma da Diocese de Petrópolis, RJ....

Arquidiocese de São Luís ordena 39 diáconos permanentes

Marcando o início da noite deste sábado, 29 de setembro, iniciou-se o rito de ordenação diaconal dos 39 candidatos ao diaconato permanente da Arquidiocese de São Luís, na concha acústica...

CRD Norte 3 realiza encontro anual de formação para os diáconos, candidatos e esposas.

Foi realizado nos dias 29 e 30 de setembro na cidade de Gurupi – TO, diocese de Porto Nacional, o 4º Encontro de Formação dos Diáconos, Candidatos e Esposas do...

012

Quero votar como cristão

Por: Diácono Pedro Fávaro Júnior / Diocese de Jundiaí, SP Nessas eleições, mesmo que eu perca meu voto, vou buscar um caminho pacifista e pacificador. Um caminho de unidade possível, não de separação. Que julgue a partir do Evangelho e do Magistério da Igreja. Não das minhas ideias ou das ideias que as campanhas, cabos eleitorais e candidatos me vomitam, cheios...

Leia mais

Mensagem do Presidente da CND - Setembro de 2018

Sabiamente o Concílio Vaticano II resgatou o valor das vocações, assim como Igreja Vocacional. No mês de agosto, dedicamos nossas orações e ações litúrgicas aos ministérios ordenados e aos leigos e leigas da Igreja. Cada cristão recebe pelo batismo o mandato de missionário e vocacionado à santidade. A Igreja nos orienta a bem celebrar as quatro semanas para uma vivencia...

Leia mais

Reunião da Diretoria e Delegados do CID

Diác. Alberto Magno (amcarmelo@gmail.com)   Nos dias 20 a 21 de julho de 2018, a diretoria do CID – Centro Internacional do Diaconado esteve reunida com os delegados regionais na cidade de Nova Orleans, em Luisiana nos Estados Unidos. Estiveram presentes os diretores: Gerald DuPont (presidente, Estados Unidos); Pe. Gilbert de Lima (vice-presidente, Índia), Diác. Mark Woods (vice-presidente, Reino Unido), Montserrat Martinez...

Leia mais

Na confluência entre o conjugal, o eclesial e ... …

(*) Tradução livre de Diác. Alberto M C Melo   Em maio passado, os delegados do diaconato em Namur, Bélgica, convidaram os diáconos e suas esposas para refletir sobre a melhor maneira de articular Matrimônio e Ordem, dois sacramentos que, após a decisão do Vaticano II para restaurar o diaconato permanente na Igreja Católica, estão novamente ligados. Certamente, esta decisão fez reaparecer...

Leia mais

Publicações

DIÁCONOS Nº 148 - OUTUBRO DE 2018
DIÁCONOS nº 147 - SETEMBRO DE 2018
DIÁCONOS Nº 146 - AGOSTO DE 2018
DIÁCONOS Nº 145 - JULHO DE 2018
Diáconos nª 144 - Junho de 2018
Diáconos nº 143 - Maio de 2018

Início

Diácono Juranir Rossatti Machado - CRD Leste 1

A importância da palavra não pode ausentar-se de nossa consciência. Ela pode conduzir-nos aos céus ou pode levar-nos às profundezas do inferno. Ela pode sarar-nos de enfermidades emocionais ou fixá-las em nossa vida. Ela pode fazer brotar em nós o grito de liberdade em relação a transtornos psicológicos que, porventura, tenhamos, ou pode escravizar-nos a eles. Pode fazer de nós mesmos inimigos de nosso crescimento espiritual ou criar adversários ao nosso redor. Ela pode fazer-nos santos ou pecadores. Tudo depende da maneira que a utilizamos em relação a nós mesmos e ao próximo. Todo cuidado é pouco!

De modo muito oportuno, o apostolo Tiago nos fala dos pecados da língua, órgão através do qual a palavra que articulamos vai ao encontro da dimensão do crescimento espiritual ou, desgraçadamente, nos coloca mergulhados nas trevas. Ouçamos o que nos diz este seguidor de Cristo, em sua epístola “as doze tribos da dispersão” (1, 1):  “Se alguém não cair por palavra, este é um homem perfeito, capaz de refrear todo o seu corpo.” (3, 2) A possibilidade da queda espiritual está sempre presente na história de cada um de nós. Tiago nos previne: “A língua, porém, nenhum homem a pode domar” (3, 8). Com a força do Espírito Santo, ele está nos dizendo que a palavra que proferimos em nossos diálogos, apreciações, pontos de vista, conversas, pode estar contaminada pelo vírus do pecado. Nela, pode estar presente a mentira, a maledicência, o pensamento corrupto, o interesse mesquinho, o coração viciado.

A vigilância em torno da palavra, proferida ou não, deverá estar sempre presente em nosso dia a dia; por isso, o exame de consciência deve ser nosso companheiro constante. A melhor maneira de vivermos tal vigilância está em nossa imitação de Jesus Cristo, imitação no sentido de tê-lo como modelo em nossa maneira de agir e de pensar. O aprofundamento em seus ensinamentos e seu relacionamento com o próximo devem constituir-se caminhos nos quais devemos percorrer!

 

Powered by Bullraider.com
Comissão Nacional dos Diáconos - 2011 - Todos os direitos reservados
Usando Joomla!
Produzido por Desenvolvido por Trídia Criação